quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

12 cães e um segredo.

Despertaram-me por volta das 3 da madrugada.
Era um barulho de algo arranhando a porta do meu quarto.
Levantei correndo, assustado.
Quando abri a porta, deparei-me com ela.
Uma carinha sapeca de pidona.
Depois de uma semana inteira dormindo embaixo da minha cama ela queria enfim voltar a habitar aquele local quentinho.
Mas não poderia, não essa noite.
Quando a olhei ela voltou-se para o outro quarto, como quem pedia ajuda ou apenas companhia.
Fui com ela, esperei ela deitar e adormecer.
Depois de feito retornei ao meu descanso. Mas já não conseguiria mais pregar os olhos.
Após algumas horas, batidas na porta.
Meu pai.
Minha cadela estava em processo de parto, mas como era a primeira vez dela, havia deixado dois filhotes falecerem por falta de ar, pois ela não havia retirado a membrana que cerca os filhotes ao serem expelidos.
Iniciou-se então todo o processo de parto.
Calcei minhas luvas e fui ajudá-la.
Após alguns minutos, nascera o 3º filhote, que seria o 1º a sobreviver.
Uma capa protetora o envolvia. E ele tentava a rasgar com as patinhas.
Encarreguei-me de rompê-la para que a minha cadela visse como era feito.
Depois de fazer entreguei o filhote a sua mamãe, ela o limpou por inteiro.
Pronto.
Estava feito o primeiro parto.
Após esse, os outros 10 foram mais tranqüilos para mim e para ela.
A cada filhote que nascia era uma felicidade. O limpávamos correndo e sorríamos. Cada um de uma forma.
Eu com a alegria de uma criança que acabara de ganhar o primeiro animalzinho de estimação.
E ela, com a alegria de quem estava conseguindo enfim ser mãe pela primeira vez.
Ela me olhava com um olhar de cansada, já no fim.
Mas sentia naquele olhar algo de carinho e cumplicidade.
Um tom de muito obrigado saia dele.
Sentia-me lisonjeado por fazer parte desse momento.
Após muito tempo de luta, de amamentação, adormecemos.
Todos, inclusive eu.
E ao acordar a grata surpresa.
Estava ela ao meu lado, deitada no pé da cama, com todos os filhotinhos em volta.
Quietos. Em silêncio.
Quando me viu levantar apenas me olhou. Coloquei a mão perto dela.
Ganhei uma lambida de presente!
E a certeza de que fui útil.
Cumplicidade e amizade são capazes de serem encontrados em apenas um gesto.
Um gesto de amor!

Você deve me perguntar qual o segredo da história?
A resposta é...

É segredo!

Um comentário:

  1. Lindo Flavinho! Que palavras doces, sentia suavidade e emoção do momento.

    ResponderExcluir

PAPOS E SUPAPOS

Mi Papos y Su papos!

Popular Posts