quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

O que sinto por você!

Parece meio infantil eu sei.
Chega a ser ridículo em alguns momentos.
Mas fazer o que?
É assim que ele é.
Sempre a procura de carinho, como criança pequena e mimada.
Mas também parece muito velho.
Querendo ser respeitado de tanto que respeita.
Protegendo sempre que pode, seja em seus braços ou mesmo distante.
Amando para em troca nem sempre ser amado.
Desejando apenas que seja aceito pelo próximo.
É contraditório. Porém muito simples de ser entendido.
Chega a ser muito confuso por tamanha facilidade.
Percebe? Até eu estou me contradizendo.
É muito fácil confundi-lo e ser confundido por ele.
Quando está muito presente, “ele enche o saco”.
Quando não está, faz muita falta.
Muitos o querem, poucos o têm.
E os poucos que o têm sempre não querem tê-lo.
A partir desse momento ele se sente solitário inútil...
E mesmo assim, ele insiste em voltar, ou seja, é insistente.
E de tanta perseverança ele consegue germinar.
Depois que brota ninguém mais quer o deixar morrer.
Normalmente, morrem antes do que ele, e em muitos casos, ele não morre nunca.
Isso o torna infinito imortal...
Por isso ele é único. Impossível brotar duas vezes.
E quem diz que o teve muitas vezes, é mentiroso.
Flores parecidas existem ao longo do mundo, mas nunca iguais.
Algumas delas são venenosas. Outras não.
Esse não. Ele sempre faz bem. O veneno está nas daninhas que se parecem com ele.
E muitas são elas, cuidado, pode ter uma bem perto tentando te pregar uma peça.
E em peça ele não entra. Não é ator. Não sabe fingir.
É sempre sincero, real...
Não é moeda, não pode nem ser comprado por ela.
Trata-se de um sentimento, e eu o tenho por você.
Basta entendê-lo e aceitá-lo, pois nada além dele eu poderei te oferecer.

3 comentários:

  1. amigo, vocÊ é demais, ainda bem que no mundo existem pessoas que sabem falar por quem não tem palavras, te adoro!!!

    ResponderExcluir

PAPOS E SUPAPOS

Mi Papos y Su papos!

Popular Posts